Metalúrgicos da Ford tentam reverter milhares de demissões com fechamento de fábricas no Brasil

Ford anunciou o encerramento da produção no Brasil, que deve perder 5 mil vagas de trabalho. Sindicatos programam protestos para tentar reverter decisão da marca americana

Metalúrgicos protestam na porta da fábrica da Ford em Camaçari (BA), nesta terça, dia 12

O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) quer que a Ford reveja a decisão de fechar as fábricas no Brasil e mantenha os empregos. Segundo o presidente do Sindicato, Claudio Batista, os trabalhadores foram “pegos de surpresa” com a decisão anunciada nessa segunda-feira (11).

Siga o Carro Esporte Clube no Instagram
Inscreva-se em nosso canal no YouTube

Além da planta de Taubaté, a Ford vai fechar a fábrica de Camaçari, na Bahia. A fábrica da Troller, em Horizonte (CE), vai encerrar as atividades até o fim deste ano. Serão mantidos, entretanto, a sede administrativa para a América do Sul em São Paulo, o Centro de Desenvolvimento de Produto na Bahia e o Campo de Provas em Tatuí (SP). A produção de veículos na região ficará concentrada na Argentina e no Uruguai.

Manutenção de empregos

“O sindicato vai fazer toda luta necessária para tentar reverter essa situação”, disse Batista. De acordo com ele, os 830 funcionários da fábrica em Taubaté tinham estabilidade no emprego até o fim de 2021, devido a um acordo de redução de jornada e salários feito no ano passado, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A unidade da montadora na cidade está há 53 anos de atividade.

SAIBA MAIS SOBRE O FECHAMENTO DA FÁBRICA DA FORD
Ford encerra produção de carros após 102 anos no Brasil e decreta fim de linha para Troller
Ford recebeu R$ 20 bilhões em incentivos fiscais e mesmo assim fecha fábricas no Brasil

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) evitou comentar diretamente as razões e os impactos do fechamento das fábricas no Brasil. “A Anfavea não vai comentar sobre o tema. Trata-se de uma decisão estratégica global de uma das nossas associadas. Respeitamos e lamentamos”, disse a entidade em nota.

No entanto, a associação comentou que os custos de produção têm afetado as montadoras no país. “Isso corrobora o que a entidade vem alertando há mais de um ano, sobre a ociosidade da indústria (local e global) e a falta de medidas que reduzam o Custo Brasil”.

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a alta carga tributária é um dos fatores que dificulta a manutenção da produção industrial no país. “A Fiesp tem alertado sobre a necessidade de se implementar uma agenda que reduza o Custo Brasil, melhore o ambiente de negócios e aumente a competitividade dos produtos brasileiros. Isso não é apenas discurso. É a realidade enfrentada pelas empresas”, disse em nota a federação.

Bahia

Nem a forte chuva que caiu na manhã desta terça-feira (12/1) conseguiu enfraquecer a assembleia convocada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari, em frente ao prédio da montadora, que anunciou o fim das suas operações no Brasil.

Os funcionários da Ford compareceram em peso ao ato que tem como objetivo fortalecer a luta pelo emprego num momento tão difícil de fechamento da empresa, após 20 anos de atividades em Camaçari.

A direção do Sindicato deixou claro que continua em busca de negociação para reverter esse quadro dramático e garantir a manutenção da fábrica e dos postos de trabalho. Mas, diante da insistência da Ford em fechar a unidade, o Sindicato vai também lutar por uma negociação que assegure uma indenização justa aos milhares de pais e mães de família que estão com o emprego em risco. ”O Sindicato continua firme e forte na resistência em defesa e ao lado dos trabalhadores”, diz Júlio Bonfim, pres. do Sindicato. (Fonte: Agência Brasil e Redação)

LEIA TAMBÉM
Desafio: você consegue encontrar 10 veículos da Ford neste desenho?
Ford Territory 2021 esgota primeiro lote em duas semanas de pré-venda
Conheça o carro chinês que deu origem ao Ford Territory
Andamos no Ford Territory, que chega em Agosto
Ford fecha fábrica em SP, encerra produção do Fiesta e coloca 3 mil empregos em risco
Ford oferece até R$ 93 mil extras em programa de demissão e prorroga lay-off

Ministério da Economia pede reformas

A melhoria do ambiente de negócios e o avanço das reformas estruturais são necessários para reduzir o custo de manter empresas no país, informou o Ministério da Economia. Em nota, a pasta lamentou a decisão da montadora Ford de encerrar a produção no Brasil e destacou que a saída do país contrasta com a recuperação na indústria nos últimos meses.

“O Ministério da Economia lamenta a decisão global e estratégica da Ford de encerrar a produção no Brasil. A decisão da montadora destoa da forte recuperação observada na maioria dos setores da indústria no país, muitos já registrando resultados superiores ao período pré-crise”, divulgou a pasta esta noite em comunicado.

Segundo a equipe econômica, o governo tem promovido ações para zreduzir o custo de manter negócios no país. No entanto, a pasta pediu a aprovação de reformas que modernizem a economia brasileira. “O ministério trabalha intensamente na redução do custo Brasil com iniciativas que já promoveram avanços importantes. Isto reforça a necessidade de rápida implementação das medidas de melhoria do ambiente de negócios e de avançar nas reformas estruturais”, concluiu o texto.


Entidades do setor produtivo também destacaram a necessidade da aprovação de reformas. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) afirmou, em nota, que a reforma tributária deve ser a prioridade para reduzir o principal entrave à competitividade do setor industrial brasileiro.

Repercussões

“O Brasil tem que lutar para melhorar sua competitividade, pois, além das fábricas, há toda uma cadeia automotiva que inclui redes de concessionárias, fornecedores de partes e peças e diversos outros serviços. Essa decisão reforça a urgência de se avançar na agenda de competitividade e redução do custo Brasil”, destacou em comunicado o diretor de Desenvolvimento Industrial da CNI, Carlos Abijaodi.

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) o encerramento das atividades da Ford representa “uma triste notícia para o país”. A entidade também pediu a aprovação de uma agenda que reduza o custo Brasil e criticou a alta tributação sobre os automóveis praticada no país.

“A alta carga tributária brasileira faz diferença na hora da tomada de decisões. O custo de cada automóvel produzido aqui, por exemplo, dobra apenas por conta dos impostos”, informou a Fiesp. “Precisamos urgentemente fazer as reformas estruturais, baixar impostos e melhorar a competitividade da nossa economia para atrair investimentos e gerar os empregos de que o Brasil tanto precisa”, concluiu a entidade em nota.

Comentários

comments

Carro Esporte Clube

Fotos, notícias, lançamentos, testes, vídeos e dicas sobre veículos. Bom humor e lifestyle!

One thought on “Metalúrgicos da Ford tentam reverter milhares de demissões com fechamento de fábricas no Brasil

Fechado para comentários.